Instituto Técnico-Científico de Polícia, em Natal (Foto: Matheus Magalhães/G1)
Instituto Técnico-Científico de Polícia, em Natal (Foto: Matheus Magalhães/G1)

Os servidores que faziam greve no Instituto Técnico Científico de Polícia, realmente não faziam greve por salário, este é um fato que foi identificado no relatório… Afinal a caixa preta, foi exposta pela Comissão que identificou todas as irregularidades no órgão.

A governadora Rosalba Ciarlini, determinou a criação de uma comissão formada por técnicos, juízes, secretaria de segurança, defesa social e promotores, que identificaram de funcionários fantasmas a servidores desqualificados ganhando três vezes mais que um coordenador, gratificações absurdas, expedientes defasados.

Foi apontado que o órgão tem 550 servidores, com funcionário que recebe mais de R$ 20 mil e servidor que trabalha só 8 DIAS POR MÊS, funcionário desqualificado que não da expediente, funcionário que tem baixo rendimento de atendimento, peritos com laudos atrasados.

A folha de pagamento dos servidores do ITEP, é de R$ 2,2 milhões. A iniciativa da Governadora, foi excelente para identificar estes abusos que vinham acontecendo dentro do órgão, para regular e ajustar estes salários exorbitantes e organizar a escala de plantão e trabalho dos servidores.