Vereadores Chico Mago, Batista, Carlinhos e Bôbo (Foto: Sezimar/Arquivo)
Vereadores Chico Mago, Batista, Carlinhos e Bôbo (Foto: Sezimar/Arquivo)

Depois da celeuma em torno dos valores do duodécimo da Câmara Municipal, surge outra polêmica: a anulação da eleição da mesa diretora para o biênio 2015/2016. Na sessão ordinária da última segunda-feira(18) foi colocada em votação a anulação da eleição antecipada atendendo recomendação do Ministério Público.

Os vereadores da situação, inconformados com a forma como o processo de anulação ocorreu, procuraram o blog de Eurípedes Dias para fazer alguns questionamentos com relação ao comportamento do presidente da Casa Legislativa, vereador Alexis Lima.

Os vereadores alegam que alguns pontos são obscuros com relação a votação que anulou a eleição da mesa diretora e fazem algumas interrogações: porque não foi colocado em discussão na sessão anterior a votação? Porque o perdido de vista do vereador Francisco Nobre líder do governo na câmara não foi atendido? Porque o presidente da câmara que se diz da bancada da prefeita queria tanta rapidez na votação para anulação da mesa diretora? Porque o presidente da casa que tinha o seu voto de minerva foi favorável para a anulação, baseado em que o presidente votou na anulação se o próprio presidente em 2013 votou a favor?

Outros pontos estranhos é o fato do presidente ter dado um intervalo de 20 minutos e logo após esse tempo foi colocado em votação, além de uma consulta por telefone ao advogado da câmara o presidente negou o perdido de vista do vereador Francisco Nobre e colocou em votação.

Ora, se no término de 2012 a câmara municipal de Jardim de Angicos aprovou uma emenda a lei orgânica a modificou para poder antecipar as eleições da presidência da casa. Ocorre que o atual presidente, apesar de ter participado da votação das referidas emendas e alterações, esta afirmando que elas não existem.

Com informações de Eurípides Dias