Casa onde morou o governador Juvenal Lamartine sofre com a ação do tempo e descaso do poder público.
Essa foi a Residência de Campo do então governador Juvenal Lamartine. Chama-se Bangalô (Foto: Sezimar)

As condições físicas e estruturais da Residência de Campo chamada de Bangalô do então governador Juvenal Lamartine nos anos de 1928, sofre com a ação do tempo. Esta semana, eu Sezimar e meu pai Armando visitamos e se deparamos com o abandono e em ruínas desde que a fazenda fora vendida aos sem-terra pelo antigo dono Bira Rocha, ex-presidente do clube ABC de Natal.

Conhecida pela famosa Fazenda Lagoa Nova, ela fica na divisa entre os municípios de Bento Fernandes e Riachuelo. Na época, chegou a funcionar a fábrica do leite Lagoa Nova, que hoje se encontra com produção limitada de leite. Na atualidade a propriedade pertence aos sem-terra, agricultores familiares  que dividiram em agrovilas: Agrovila Quintururé, Furnas, Eliziel Palhares e Nova Descoberta (arisco). O empreendimento tem uma ligação com o INCRA, e é percebido a ausência de políticas de restruturação para o resgate histórico do lugar.

Osvaldo Lamartine, escritor, considerado um dos maiores sertanistas do país, detentor da cadeira de número 22 da Academia Norte-rio-grandense de Letras, autor de importantes obras da Literatura potiguar e neto de Juvenal Lamartine quis antes de morrer, transforma-la em um museu histórico, no entanto não teve exito devido a negativa dos atuais donos.

Esta fazenda tem um dos maiores açudes da região que na época do seu proprietário engordava bois com batata doce, cultivada no referido reservatório. Alguns desses animais chegaram a pesar 31 arrobas. A propriedade chegou a ter 100 moradores.

Aqui de Jardim de Angicos, o Sr Luiz Ataliba Bezerra, popular Bebeu, sua esposa dona Liquinha, filha de Manoel Sebastião que residia em Zé de Araújo, ainda hoje viva, morava nesta fazenda desempenhando a profissão de professora. Hoje em Fazenda Nova mora o sanfoneiro conhecido por Zé Anum que também foi morador nesta Fazenda.

Depois da morte de Juvenal Lamartine, o meu Pai Armando chegou a conhecer um dos filhos herdeiros de Juvenal chamado Clovis Lamartine que nos anos 60 comprou a Fazenda Cardoso a Dr. Virgílio Bandeira.

Os herdeiros possuíram ela muitos anos, administrada como empresa.

MAIS DETALHES

Juvenal Lamartine de Faria (Serra Negra do Norte, 9 de agosto de 1874 — Natal, 18 de junho de 1956) foi um advogado, jornalista, magistrado e político brasileiro.

Foi governador do Rio Grande do Norte por dois anos e nove meses, sendo destituído do cargo após a vitória da Revolução de 1930 comandada por Getúlio Vargas, que depôs todos os governadores eleitos na época, inclusive os revolucionários. Exilou-se na Europa, retornando ao estado já no governo de Rafael Fernandes.

Foi também senador de 1927 a 1928 e deputado federal de 1906 a 1926.

1
COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
  • Juvental Lamartine acabou com o banditismo no Rio Grande do Norte, o que, naquele tempo, era o flagelo do sertão. O cangaceirismo, na época, era uma espécie de epidemia, dizimando vidas e aterrorizando famílias no interior do Estado, com a finalidade de saquear, roubar e matar, atendendo a caprichos políticos ou por vingança familiar. No governo de Juvenal Lamartine, os cangaceiros foram banidos do Rio Grande do Norte.

Comentários estão fechados.