Máximo havia sido visto pela última vez saindo de boate na zona sul
Máximo havia sido visto pela última vez saindo de boate na zona sul
Máximo havia sido visto pela última vez saindo de boate na zona sul

O Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (ITEP-RN) confirmou há pouco que o corpo encontrado na manhã de hoje em terreno baldio entre Macaíba e São Gonçalo do Amarante é do estudante Máximo Augusto Medeiros de Araújo, que estava desaparecido desde a madrugada da última sexta-feira.

A família de Máximo não conseguiu fazer o reconhecimento visual. A identificação ocorreu após análise de digitais. O estudante universitário tinha 23 anos e foi visto pela última vez na madrugada da última sexta-feira saindo de uma boate no bairro Candelária, na Zona Sul da capital potiguar.

A Polícia Civil e o setor de inteligência da secretaria de Segurança Pública investigam informações sobre um possível suspeito que teria sido visto entrando no veículo do jovem, um Pálio de Cor Branca, placa OWC-8357. O veículo ainda não foi localizado pela Polícia.

O corpo foi encontrado na manhã de hoje (3) pelas equipes do 11º Batalhão da Polícia Militar em um terreno baldio, próximo a rua Areia Branca – entre os municípios de Macaíba e São Gonçalo do Amarante. A Polícia Militar chegou ao local acionada por um popular que entrou em contato com o Ciosp.

Neste momento, o corpo de Máximo está no Itep aguardando providências da família para liberação.

MAIS INFORMAÇÕES

O estudante estava desaparecido desde a madrugada de sexta-feira (1), quando foi visto do lado de fora de uma boate no bairro Candelária, na Zona Sul da capital potiguar.

De acordo com informações da família, o rapaz entrou em seu carro acompanhado de um homem que segurava um capacete.

O segurança da boate suspeitou da situação e chegou a perguntar ao estudante se estava tudo bem e, ao receber uma resposta positiva, viu o jovem deixar o local de carro, segundo a família.