Projeto Ondas da Leitura movimenta classe estudantil de Guamaré

O projeto “Ondas da Leitura” oportuniza crianças e jovens a descobrirem sua capacidade de ler e escrever.

122

Pensando no desenvolvimento da educação do município, a prefeitura de Guamaré, através da Secretaria de Educação e Cultura, firmou mês de maio de 2015, uma parceria com a editora IMEPH para o lançamento do projeto “Ondas da Leitura”. O prefeito Hélio Miranda, não mediu esforços para que a parceria fosse firmada e todo material fosse adquirido, dando importância à valorização de formar pequenos leitores.

O projeto “Ondas da Leitura” oportuniza crianças e jovens a descobrirem sua capacidade de ler e escrever, estimulando o autor que existe em cada um por meio da publicação de suas produções.

Envolve a escola e a família, trabalhando as inteligências múltiplas, estimulando as várias formas de ler o livro, democratizando o saber e transformando a aprendizagem num processo prazeroso, no qual crianças e jovens participam da construção do seu conhecimento, adquirindo o hábito de ler por prazer.

Os professores foram contemplados com um kit de literatura infantil, Livro de Leitura e Escrita, Manual Nas Ondas da Leitura, CD musical e livros de apoio pedagógico e para os alunos foram entregues uma mochila personalizada contendo: kit de literatura infantil e livro de Leitura e Escrita de acordo com o ano e faixa etária.

A Editora IMEPH publica livros produzidos por estudantes que participam do projeto “Ondas da Leitura”. Nesses livros, os textos e as ilustrações são concebidos a partir de uma metodologia que possibilita o desenvolvimento de estratégias que envolvem professores, alunos, pais, equipes técnicas e gestores.

Cada município define de forma participativa a linha condutora da obra, que trabalha tanto o reconto das histórias lidas como o resgate das narrativas locais. Os livros que são publicados pela Editora IMEPH (com direito a lançamento e momento de autógrafos) contribuem para o fortalecimento da autoestima dos jovens escritores, que se sentem reconhecidos em suas comunidades.

COMPARTILHE