O novo sempre despertou perplexidade e resistência”. Sigmund Freud