O Hospital Walfredo Gurgel passa por adaptações nas áreas de gestão e capacitação como forma de diminuir o impacto da superlotação, na maior unidade de saúde do estado. As ações fazem parte do Programa SOS Emergência, do Ministério da Saúde, do qual o hospital faz parte desde 2012.

O programa do governo federal visa o enfrentamento das principais necessidades dos hospitais inseridos nas ações. As principais são a melhoria da gestão, a qualificação e a ampliação do acesso aos usuários em situações de urgência.

No RN, o Walfredo é o único hospital escolhido pelo Ministério da Saúde para participar do programa. Além das capacitações e treinamentos feitos com gestores, o hospital recebe uma quantia mensal no valor de R$ 300 mil, destinados para reforma, ampliação e manutenção da unidade de saúde.

No entanto, um dos principais fatores que impedem a melhor implementação do programa é o alto número de atendimento que vem gerando superlotação. Somente em 2015, foram registrados 85.911 atendimentos.

De acordo com a diretora geral do hospital, Maria de Fátima Pereira, essa é a principal ameaça para a manutenção do programa, uma vez que um dos pré-requisitos do Ministério da Saúde é que os hospitais que participam do programa não tenham pacientes nos corredores.