Jan Koum, criador do WhatsApp, durante conferência em Munique, na Alemanha. (Foto: Divulgação/DLD)
Jan Koum, criador do WhatsApp, durante conferência em Munique, na Alemanha. (Foto: Divulgação/DLD)

O WhatsApp deixará de cobrar a anualidade de US$ 1, afirmou nesta segunda-feira (18) um dos criadores e presidente-executivo do aplicativo, Jan Koum, durante a conferência Digital-Life-Design (DLD), em Munique, na Alemanha. “Estamos felizes de anunciar que o WhatsApp não irá mais cobrar taxa de assinatura.”

O ucraniano aproveitou para anunciar também que o serviço de mensagem chegou a 990 milhões de usuários em todo o mundo – há dois anos, no mesmo evento, Koum anunciava que o app atingia a marca de 430 milhões.

Até agora, o download do WhatsApp é gratuito, mas seu uso é pago. Os usuários têm de desembolsar US$ 1 para arcar com a anualidade, gratuita no primeiro ano.

Sem reembolso
As cobranças cessarão imediatamente, mas as ferramentas de pagamento poderão demorar algumas semanas para serem removidas de todas as versões do aplicativo. No Brasil, os anúncios do serviço para Android, iOS e Windows Phone ainda exibiam a informação sobre a anualidade.

Segundo o site “Re/Code”, o WhatsApp não reembolsará as pessoas que já fizeram os pagamentos.