Após o fim do Censo Cadastral Previdenciário no dia 18 deste mês, o secretário de administração e dos recursos humanos (Searh), Marcelo Marconi, anunciou que o Estado pode economizar até R$ 12 milhões por mês com a folha de pagamento. De acordo com o secretário, 4.486 servidores estaduais terão os salários bloqueados a partir da próxima data de pagamento.

O valor economizado é uma estimativa feita pelo secretário, uma vez que o balanço do mês de abril e os próprios dados do Censo ainda não são definitivos, podendo variar de acordo com a reapresentação dos servidores públicos que não compareceram ao recadastramento e nem justificaram as ausências.

“A primeira ação que vamos tomar é fazer um bloqueio do pagamento de quem não compareceu para que isso seja uma forma de forçar com que eles compareçam. Acreditamos que do número restante que ficou pendente, alguns ainda devem comparecer para regularizar a situação”, explicou o Marconi.

Ainda segundo o secretário, a partir da próxima data de pagamento, os salários serão bloqueados por até seis meses. Caso os funcionários não realizem o recadastramento após esse prazo, a secretaria deve entrar com o processo administrativo adequado.Segundo Marconi, as medidas previstas para este caso podem chegar até a exoneração dos funcionários.