A prefeita do município de Galinhos, no litoral Norte do Estado, Josineide Cunha de Medeiros (PSD), poderá ter o mandato cassado nesta segunda-feira, 16, pela maioria dos vereadores da cidade. As investigações apontaram que a gestora é responsável pela emissão de 30 cheques sem fundos. A sessão está marcada para as 10h, no plenário da Câmara Municipal.

Com minoria na Casa, o afastamento da prefeita é dado como certo. A Comissão Especial de Investigação (CPI) foi instalada a partir da denúncia da moradora Andreia Maria Chaves Pimentel à Câmara. Ela apresentou cópia de um cheque assinado pela prefeita, devolvido por insuficiência de fundos.

A denúncia da dona de casa foi o fio da meada. Ao solicitar ao Banco do Brasil cópias de cheques da prefeitura devolvidos pelo mesmo motivo, o presidente da Câmara, vereador Afrânio Reis (PR), teve uma surpresa: 30 cheques emitidos pela prefeitura e assinados pela prefeita Josineide Cunha de Medeiros já haviam sido devolvidos por insuficiência de fundos.

A CEI levantou outras suspeitas de irregularidades na gestão de Josineide Cunha de Medeiros, mas o volume de cheques sem fundos, segundo os membros da comissão, é o suficiente para pedir a cassação da governante.

A prefeita ainda tentou, sem sucesso, por meio de uma liminar, suspender os trabalhos da CEI, mas a Justiça negou o pedido.

A CEI é composta por vereadores de partidos distintos: Alexandre Wendel de Lima Ribeiro (PMDB), Márcio André da Silva Vale (PSB) e Vanuelbe Lima da rocha (PTB).