Prefeitura de Jardim de Angicos e parceiros conscientizam sobre o Dia 18 de Maio

O evento teve inicio pela manhã com uma blitz educativa. A tarde uma caminhada "arrastão da conscientização”.

A caminhada contaou com a participação de alunos, professores, conselhos tutelares e membros do CRAS e Secretaria de Assistência Social. (Foto: Sezimar)

A Prefeitura Municipal de Jardim de Angicos, através da Secretaria de Assistência Social, CRAS e Conselho Tutelar, estiveram realizando na primeira quinzena de maio, ações de mobilização dos usuários sobre a questão do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil.

A equipe do CRAS visitou escolas para que o assunto discutido fosse socializado. A temática foi abordada com os usuários de forma didática e explicativa através: de palestras e mostras de vídeos; da confecção de atividades artísticas sobre o tema e da produção de um banner de apoio à campanha. O Conselho Tutelar foi parceiro dessas atividades com o CRAS.

Para alertar toda a sociedade sobre o problema que atinge cada vez mais crianças e adolescentes, foi realizada no dia D da campanha de 18 de maio – “Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, uma caminhada de conscientização organizada pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS).

O evento teve inicio pela manhã com uma blitz educativa. A tarde panfletagem, distribuição de brindes e adesivos, e um caminhada “arrastão da conscientização” saindo da Escola Municipal Francisco Barbosa até a sede do CRAS. Após o término da caminhada houve distribuição de picolés. A caminhada contou com a participação de alunos, professores, conselhos tutelares e membros do CRAS e Secretaria de Assistência Social.

Para a Secretária de Assistência Social, Priscilla Dórate Abreu Silva, o evento foi de grande importância, pois a população Jardim Angicanense precisa cada vez mais ter interesse pela causa. “A caminhada foi muito bonita, muitas pessoas participaram, agradecemos a presença de todos”, disse secretária.

Prefeitura, Conselho Tutelar e Crás realizam Campanha contra Exploração Sexual Infantil (Foto: Sezimar)

DIFERENÇA ENTRE ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL

O abuso sexual envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa significativamente mais velha e poderosa. As crianças, pelo seu estágio de desenvolvimento, não são capazes de entender o contato sexual ou resistir a ele, e podem ser psicológica ou socialmente dependentes do ofensor. O abuso acontece quando o adulto utiliza o corpo de uma criança ou adolescente para sua satisfação sexual. Já a exploração sexual é quando se paga para ter sexo com a pessoa de idade inferior a 18 anos. As duas situações são crimes de violência sexual.

DENÚNCIAS

No Brasil o “Disque 100”, criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, é um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes.

O Disque 100 funciona diariamente de 8h as 22h, inclusive aos finais de semana e feriados. As denúncias são anônimas e podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita para o número 100; e do exterior pelo número telefônico pago 55 61 3212-8400 ou pelo endereço eletrônico: disquedenuncia@sedh.gov.br.

HISTÓRIA DA SEMANA

No dia 18 de maio de 1973, uma menina de oito anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espirito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos.

A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. O “Caso Araceli”, como ficou conhecido, ocorreu há quase 40 anos, mas, infelizmente, situações como essa ainda se repetem.